Vegetarianismo e gestação

 

A mulher vegetariana que engravida, frequentemente passa por situações de intensa pressão familiar devido à ausência de carne na dieta. Com um bom planejamento, a dieta vegetariana e vegana são  adequadas para as gestantes, pois fornecem os nutrientes necessários (exceto a vitamina B12 para as estritas) e promovem o crescimento e o desenvolvimento adequado do feto. Os bebês de mulheres vegetarianas normalmente apresentam o peso semelhante ao das não vegetarianas ao nascimento.

As diferenças nutricionais e médicas quanto às condutas apresentam diferenças apenas no aporte extra de vitamina B12, sendo que todos os demais cuidados são idênticos aos de gestantes onívoras. Há diferenças nas necessidades nutricionais da mulher na gravidez. Nutrientes como o cálcio, o ferro, o ácido fólico, dentre outros merecem atenção redobrada, sendo que o ajuste nutricional é fundamental para que a dieta fique de acordo com as exigências desse período.

A redução dos níveis de vitamina B12 no organismo provoca um aumento do composto chamado homocisteína, correlacionado ao maior risco de descolamento de placenta e defeitos na formação do feto, além de prematuridade e baixo peso ao nascer. A deficiência de vitamina B12 na alimentação não é exclusividade das vegetarianas, sendo que cerca de 40% de mulheres onívoras apresentam essa escassez. O uso de vitamina B12 deve ser avaliado após dosagem sérica dessa vitamina, podendo-se adequar a suplementação de acordo com cada caso.

Nos três primeiros meses da gestação ocorre um aumento de 20% na produção de células vermelhas da mulher, demandando uma grande quantidade de ferro. Já, nos últimos três meses de gestação, a quantidade de ferro depositada na placenta e entregue ao bebê também potencializa! Sendo assim, o ferro proveniente da alimentação pode ser insuficiente para fornecer as necessidades básicas de uma gestante, que chega a aumentar em até três vezes, nesse caso, a necessidade de suplementação deve ser avaliada pelo médico responsável.

A necessidade de cálcio aumenta na gestação, assim como a quantidade absorvida pelo organismo da gestante. É importante que haja uma adequação nutricional no cardápio, pois muitas mulheres não conseguem, por falta de planejamento dietético, atingir as necessidades diárias. O consumo de leite de soja fortificado, tofu e verduras como couve, brócolis, mostarda, escarola, rúcula e agrião devem ser priorizados nesse caso.

Quer saber mais sobre o assunto abordado no texto, atualize-se no Curso de Nutrição Vegetariana, com profissionais renomados e programação diversificada!  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Textos Recentes
Please reload