Micronutrientes e biodisponibilidade na dieta vegetariana

 

Com o devido planejamento, as dietas vegetarianas são seguras e fornecem a nutrição adequada. Promovem o crescimento e o desenvolvimento necessários e podem ser adotadas em qualquer ciclo da vida, inclusive, na gestação e na infância. As dietas vegetarianas trazem resultados benéficos na prevenção e no tratamento de diversas doenças crônico-degenerativas não transmissíveis.

 

Os aspectos nutricionais se diferem nos tipos de dietas vegetarianas adotadas, sendo que nas versões ovolacto e lactovegetariana, o aporte de todos os nutrientes necessários ao organismo humano é atingido. Entretanto, na dieta vegetariana estrita há uma baixa ingestão de fontes nutricionais da vitamina B12, podendo ser obtida por meio de alimentos enriquecidos ou suplementos.

 

De forma geral, a proteína não é um fator de preocupação nas dietas vegetarianas. Na dieta vegetariana estrita, por exemplo, a ingestão de lisina é garantida pelo consumo diário de quatro colheres de sopa de feijão cozido ou uma quantidade equivalente dos demais alimentos desse grupo. Devido ao consumo limitado de carne na dieta onívora saudável, para haver a ingestão diária preconizada de nutrientes como ferro e zinco é necessário o consumo adequado de fontes vegetais desses nutrientes. Outro ponto importante é o cuidado com a biodisponibilidade de tais nutrientes que se aplica tanto à dieta vegetariana quanto à onívora.

 

A ingestão diária recomendada de ferro, zinco e ômega-3 é maior para vegetarianos devido os motivos teóricos e não pelos dados relativos de deficiências encontradas nessa população. Por isso, para melhorar a biodisponibilidade do ferro da dieta, é recomendado que se associe o consumo de alimentos ricos em vitamina C, ácidos orgânicos e betacaroteno, além do cuidado em manter a microbiota intestinal e utilizar métodos que reduzam o teor de ácido fítico dos alimentos. Nas refeições ricas em ferro, os alimentos com alto teor de cálcio devem ser evitados, por conta da competição entre eles.

 

Para otimizar a absorção de zinco, recomenda-se o uso de vitamina C e ácidos orgânicos nas refeições mais proteicas e ricas nesse mineral, além de evitar o consumo de caseína e cálcio que produzem um efeito inibitório na absorção do zinco.

 

Na dieta vegetariana estrita, as fontes de cálcio devem ser priorizadas, sendo que as bebidas vegetais fortificadas com esse nutriente são opções para substituir o leite animal. A suplementação de vitamina B12 pode ser feita sob a forma de cápsulas vegetais ou gotas, na dose necessária para manutenção dos níveis adequados. Por fim, o consumo de ômega-3 pode ser regulado por meio de sementes e oleaginosas, como linhaça e nozes.

 

Nesse curso, atualize-se sobre essas e outras informações importantes para a prescrição adequada de dietas vegetarianas!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Textos Recentes
Please reload